Transtorno de Ansiedade – Como Identificar e Buscar Ajuda.

Esse post tem como foco esclarecer dúvidas a respeito desse transtorno. Não procure a auto medicação, caso identifique os sintomas. Busque ajuda especializada e profissional. Portanto, o Transtorno de Ansiedade – Como Identificar e Buscar Ajuda, precisa ser avaliado e tratado por um profissional capacitado.

Tipos de Transtorno de Ansiedade

Transtorno de Ansiedade
Transtorno de Ansiedade

A primeira coisa a saber sobre o transtorno de ansiedade, é que ele possui subtipos. O tratamento deve ser feito por um psicólogo capacitado e formado. Em alguns casos, é necessário também complementar com tratamento medicamentoso. O mesmo, portanto, só pode ser feito e indicado por um psiquiatra.

Transtorno de Ansiedade de Separação

Geralmente, encontrado em crianças e/ou adolescentes, é caracterizado por ansiedade excessiva, quanto ao afastamento dos pais ou cuidadores. Esse quadro não é adequado ao nível de desenvolvimento da criança e/ou adolescente. Os sintomas persistem por no mínimo quatro semanas, o que gera sofrimento intenso, e grandes prejuízos no desenvolvimento do individuo.

Nesse caso, então, o individuo quando esta sozinho, teme que algo de ruim aconteça a si próprio ou a seus pais. Coisas tais como, acidentes, sequestro, assaltos ou doenças. Que poderia afastar definitivamente a criança e/ou adolescente de seus pais ou responsáveis.
Como consequência, demonstram apego exagerado. Não permitindo o afastamento de seus cuidadores, ou telefonando repetidas vezes, a fim de tranquilizar se.

Além dos pensamentos, quando o individuo percebe um possível afastamento, podem surgir manifestações somáticas. Como dores abdominais, náuseas, enjoos e dores de cabeça. Os sintomas não são regras, mas são os mais comuns.
Estudos mostram, que o Transtorno de Ansiedade de Separação, quando dado na infância, pode gerar na vida adulta diversos transtornos de ansiedade. Como por exemplo transtorno de panico e de humor.


TAG – Transtorno de Ansiedade Generalizada

Pessoas e crianças com TAG demonstram medo excessivo, sentimentos de pânico exagerados e irracionais e preocupações a respeito de diversas situações.
Essas pessoas estão o tempo todas tensas, e dão a entender que qualquer situação pode ser provocadora de ansiedade.
Essas pessoas se preocupam com o julgamento alheio à respeito de seu desempenho, em diversas áreas, portanto precisam sempre que lhes renovem a confiança, que lhes tranquilizem.

Esses indivíduos apresentam dificuldade de relaxamento, queixas somáticas, sem causas aparentes, e sinais de hiperatividade.
Crianças ou adultos com TAG estão constantemente preocupados. Os pensamentos não são o tempo todo sobre o mesmo tema, mas essas preocupações são constantes, e variam de tema, o que gera uma grande ansiedade.

Conviver com pessoas que tem Transtorno de Ansiedade Generalizada tornam a convivência difícil, pois mantem o ambiente onde vivem tenso. Causa até mesmo irritação nas pessoas, pelo absurdo da situação, sendo difícil acalma las.

Diante desses transtornos, temos em alguns casos deficiências na produção de alguns hormônios em nosso cérebro. Esses hormônios são importantes para o bom funcionamento da mente, do humor e de como cada individuo se comporta. Um desses hormônios é a Endorfina, acesse o link e saiba mais sobre ele.

Fobias Especificas

As fobias especificas são determinadas pela presença de medo excessivo e exagerado diante de um determinado objeto ou situação. Essa fobia não tem situação relacionada a exposição pública ou o próprio de medo de ter um ataque de pânico.
Quando entra em contato com o estimulo fóbico, a criança, ou mesmo o adulto, procura correr para um lugar seguro, ou para perto de um dos pais, ou para perto de alguem que a faça sentir se protegida.
Nesses casos o individuo pode apresentar reações diversas, são elas: choro, desespero, agitação psicomotora, imobilidade ou o próprio ataque de pânico.

Na infância, os medos mais comuns são de pequenos animais, altura, escuridão, injeção, e até mesmo de ruídos intensos.

Fobia Social

A forma como se manifesta no adulto, se manifesta na criança e/ou no adolescente. A fobia social é o medo persistente e intenso de situações onde o individuo se sente avaliado por terceiros. Se comportar de maneira humilhante e vergonhosa, é o que define o diagnóstico de fobia social.
Essa forma de ansiedade pode ser demonstrada por choros, acessos de raiva, e possível afastamento de situações sociais, nas quais não haja pessoas familiares.

Nesse caso, a pessoa sente imenso desconforto em situações como: falar em público, comer na cantina ou refeitório próximo a outras possoas, ir a festas, dirigir a palavra a figuras de autoridade como professores ou chefes. Além desses desconfortos, há os sintomas físicos como: tremores, palpitação, calores súbitos, calafrios, náusea e sudorese.

A depressão é uma comorbidade (comorbidade é quando duas ou mais doenças estão relacionadas) frequente em pessoas com fobia social.

TEPT – Transtorno de estresse pós-traumático

O diagnóstico de TEPT é dado quando, em decorrência à exposição a um acontecimento que ameace a vida ou a integridade do individuo, são observadas alterações importantes em seu comportamento. Alterações como inibição excessiva ou desinibição, agitação e reação emocional aumentadas, hipervigilância (estado de alerta), além de pensamentos obsessivos e frequentes em relação a vivência traumática. A vigília também se manifesta em pesadelos durante o sono.
Estímulos que se assemelham ao evento traumático tendem a ser evitados.
Esses sintomas, tendem a durar mais de 30 dia, como resultado levar a um comprometimento das atividades do individuo.

Crianças são particularmente vulneráveis a violência e abuso sexual. Estatisticas crescentes mostram que experiências traumáticas levam a um impacto grave e duradouro na vida dessas pessoas.

Pessoas com TEPT evitam falar sobre o ocorrido, devido a isso lhes causa ainda mais sofrimento. Essa atitude de silenciar se pode perpetuar os sintomas em geral, não só nos casos de estresse pós-traumático, mas em todos os transtornos ansiosos.
Crianças, principalmente as mais jovens, demonstram maior dificuldade de compreender com clareza e falar sobre o ocorrido.
Crianças menores, demonstram e revelam o trauma expressados em brincadeiras repetitivas.

Transtorno de Ansiedade
Transtorno de Ansiedade

Por que Buscar Terapia?

Há 20 anos havia a crença de que os medos e preocupações dados na infância eram transitórios. E não geravam graves problemas.Hoje, porém, se sabe que na infância podem ser desenvolvidos transtornos frequentes. Causando sofrimento e disfunção na vida da criança ou do adolescente.

Portanto, o diagnóstico precoce pode evitar agravantes e repercussões negativas na vida do individuo quando adulto.

Se você é mão ou pai de uma criança e/ou adolescente com sintomas que lhes sejam conhecidos; ou com indicação escolar para avaliação psicológica, é importante que seja contato um profissional.

Existe ainda um grande preconceito referente a terapias psicológicas. O que só aumenta a probabilidade de agravantes na primeira e segunda fase da vida.

Pessoas em sofrimento precisam de tratamento, e não agem de tal maneira para chamar a atenção, ou por frescura.
Transtornos ansiosos causam uma disfunção na rotina. O quanto antes tratados, melhor qualidade de vida terá a criança, adolescente ou adulto. Busque ajuda!

Diga o que achou? Você será o primeiro! on "Transtorno de Ansiedade – Como Identificar e Buscar Ajuda."

Diga o que achou!

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.